.

.

PAGINAS ESSENCIAIS DE ASSUNTOS INÉDITOS.

ESTAS MATÉRIAS ESTÃO COMPARTILHADAS COM ESTAS PAGINAS: http://www.recantodasletras.com.br/autores/edvaldobmelo http://teologia-divina.vilabol.uol.com.br// http://twitter.com/#%21/relator_edvaldo SOBRE POLÍTICA E OUTROS ASSUNTOS ACESSE www.buique-buicano.blogspot.com.br/
facebook.com/edvaldo.b.demelo

LIVRO: ...venha a nós o teu reino...

segunda-feira, 12 de junho de 2017

PROJETO TEOLÓGICO TRANSCEDENTAL: A VIAGEM...

PROJETO TEOLÓGICO TRANSCEDENTAL: A VIAGEM...: Edvaldo Bezerra de Melo 49 min  ·  Para uma reflexão. Estamos em um mundo em reforma, imagine os...

A VIAGEM...

Para uma reflexão.
Estamos em um mundo em reforma, imagine os problemas de uma reforma na nossa casa sem sairmos de de dentro, o sofrimento vai ser grande, é o que está acontecendo na reforma do planeta, pra onde vamos, se não acompanharmos a mudança e se optarmos em se mudar tirando a nossa vida cairemos no ombral com muito mais sofrimento, então, é muito melhor aprendermos com os sofrimentos que a reforma nos proporciona, dói aqui, aperta ali, e nós vamos se acomodando conforme os acontecimentos, e com isto aprendendo muito mais com nós mesmo, e com o sofrimento dos outros, e sendo o professor dá nossa atribuições, por isso mesmo, aprendendo com nós mesmo, dessa cituação só sairemos quando pagarmos o última centavo, pois, todos nós temos dívidas contraídas em outras vidas passadas, não somos nós os únicos que sofremos, e estás dívidas, é a humanidade toda que tem, uns mais, e outros menos, portanto, devemos encontrar forças, seja lá onde for, para suportar tudo, em qualquer sofrimento, só assim chegará o dia que estaremos livres, e encontraremos a nossa verdadeira felicidade juntos com aqueles que cumpriram as determinações do ETERNO, são esses a nossa verdadeira família vivendo na união, e na paz de DEUS, aí sim, não lembramos mais dos dias de atribulações que estamos passando.
Portanto, precisamos de dar amor pra receber dos outros, pois, é dando que se recebe, para chegarmos ao verdadeiro paraíso prometido por Deus...(Edvaldo).
CurtirMostrar mais reações
Comentar
Comentários
Edvaldo Bezerra de Melo Carta psicografada de Cássia Eller: chocante e longa passagem pela “zona morta”, com riqueza de detalhes, deixa em choque até os mais céticos sobre a reencarnação http://peloamordedeus.com/carta-psicografada-de-cassia.../
Edvaldo Bezerra de Melo O acreditar nos leva a uma reflexão maior
Edvaldo Bezerra de Melo Ninguém vai a lugar nenhum sem a credibilidade maior. Foi isto que o mestre nos ensinou, "tudo é possível aos que crerem"...
Maria Do Carmo Tavares Belo e verdadeiro texto. Parabéns!

terça-feira, 6 de junho de 2017

MINHAS PRIMEIRAS POESIAS...






1
PARA MINHA ESPOSA.
        

I

Na conformidade do tempo. 
Da aurora que já chegou.       
Do encanto passivo do vento, 
Que nos meus ouvidos brotou. 

                      II

A vida, que sempre esteve na presença do amor. 
Tudo isto me contive das lembranças que jorrou. 
A mulher que tanto amo florindo ainda brotou.
Fui sabendo quem eu era; no abstrato no amor.

                         III

Não sei como consegui; viver a vida que levo.
Na imensidão do tempo, no convívio do louvor.
E no murmúrio da paixão, vivenciando o meu ego.
Convivendo ainda estou; nas noites com meu amor.

                         IV

Busquei nas lembranças o brio, das mulheres bem formosas.
O ser que tanto gostei; a mulher que mais amei.
Convive ainda comigo, no jardim colhendo rosas.
Me fala bem no ouvido; sussurra, me diz; benzinho, uma rosa de cada vez.


(Edvaldo) 15/08/2015



2
O BEM QUERER.

                                          I     
Quisera um dia eu ser, um anjo com muita beleza.
Destemido provador no reinado que aqui estou.

A Terra foi contemplada pra viver em sutileza.
Veio e terminou, contemplando e foi chegando, aqui, e ninguém notou.

                                                 II

A promessa que foi feita tudo já concretizou, aqui com tanta alegria.  
Já foi cumprida da integra, pelo meu consolador.
Quem não viu foi quem não quis, que surpresa quem diria?
Tudo aqui é cantoria; por que tudo fixou na presença do senhor.

                                        III

O DEUS que tem por princípio falar a quem lhe espera.
Não tardou por muito tempo, determinou todo querer.
Vivendo e contemplando contrito na nova ERA.
Que bom, aqui nesse tempo, vivemos o bem viver.

                                       IV

Chegou a hora e o dia tudo bem recomendado. 
Pra ser aquilo que é, um reino com muito amor.
Não é mera coincidência tudo foi acomodado.
Tudo está determinado na presença do senhor.
O REINADO DA PROMESSA DIVINA veio e ninguém notou. 

(Edvaldo).
          
 3
 REINADO DE DEUS
                                            l 
A promessa de um reino foi feita com muito amor.
Quem diria que um dia, seria harmonizado, e o sussurrar se ouvia.
Os anjos cantarolando vem filhos morar comigo no reino do salvador.
A terra vai ser florida, as arvores, vão dar bons frutos, tudo isto em só dia

                                           II

Vem filho morar comigo no reino do nosso amor.
Aqui tudo faz sentido, brincamos de ser criança.
Nesta paz, aqui se vive cantando muito louvou.
Recompensado seremos vivendo assim quem diria?
Na presencia do senhor.
          
                                          III

O reino está se formando, e todos bem conformado.
Procurando acreditar na promessa que foi feito.
Na pedra fundamental tudo aqui já foi montado.
Só precisamos ouvir o brado do meu senhor no dia que for eleito.

                                           IV

Sendo assim, fui preparado, pra viver com alegria.
Sentindo a brisa do amor o aroma e o louvou.
A energia fluindo lavando todo meu corpo; rejuvenescendo, quem via?
Só aquele que um dia acreditou no senhor.
                                                       

A promessa de Jesus confirmada que um dia, voltaria pra reinar.
E todos já esperando, vivo como ele veio; sem marca do sacrifício.
É bom que todos entendam que reinando ele já está.
Na majestade do PAI, confirmada por Sadabi que buscou seus benefícios.
                                            
VI

Sadabi irmão de Jesus, acreditar, quem diria?
Aconteceu na Fazenda, e todos aqui; notou.
O ETERNO confirmou a DEUS PAI que assim seria.
O AVÔ deste senhor, o mistério é muito forte, mas, foi assim que ficou.
                                            

                                               VII


Assim no seu transcender, fortaleceu no viver, na vivencia que um dia.
Sentado assim quem diria no trono do meu senhor.
Ministrando a nova Terra por tempo indeterminado, a ERA que assim viria.
A criação do reinado por isto foi confirmada à morada do consolador. 

(EDVALDO) 13/05/2017



4
A METÁFORA
          

                           

Quem diria que um dia tudo foi harmonizado.
O futuro está presente na beleza do roçado.
A metáfora é verdadeira de todo mistério azulado.
Criando e fazendo vida no trabalhar do arado.

                                  II

O ETERNO se fez presente no mistério do criar.
Ditou normas conscientes na criação do viver.
Preparou, quem diria? Um filho pra si amar.
O processo, foi nove anos pra ELE vir a nascer.

                                    III

Nasceu e está convivendo, um jovem forte e bonito. 
Só falta mesmo exercer o que ele veio fazer.
Administrar a terra na sutileza do fluídico.
Criando todas as leis na imensidão do prazer.

                                     IV

A metáfora é verdadeira de tudo que divulgou.
Tudo dentro de uma tese formada pelo meu senhor.
Que forneceu seu puder pra tudo ser resolvido.
Na culminância da vida formado pelo seu fulgor.

(Edvaldo) 13/05/2017


5
Lembranças de Galante.

                                      I
Galante, Terra ungida de onde nasci.
Na vivencia de tudo por demais.
Quem diria? Eu mesmo assim um dia.
Desprezar tudo isto nunca mais...

                                      II

Que bom que tudo isto aconteceu.
No convívio da esperança que viria.
Relembrar com amor quem mereceu.
No passado de tudo, quem diria?

III

Foi por isto quem neste mundo viveu.
Na lembrança do passado bem pertinho.
Ainda vejo recordando quem nasceu.
E relembrando os amados, amigos meus.

(Edvaldo) 05/112016 

 6
MINHA TERRA GALANTE

I

Galante, tão formoso seu nome lhe conduz.
Dos seus filhos avante com bravura.
Uma foto na moldura que reluz.
Na esperança da vivencia regressar.
Para depois pra o lar de sua mãe voltar.

II                         

Minha Terra; Galante do meu coração. Sentindo muita saudade.
Não é confissão em vão.
Tudo isto é dar idade.
Em que passa um ancião.

III

Terra amada.
Galante terra dos sonhos.
Por tudo que tanto amei.
Não preciso nem chorar.
Vivenciar, sim, outra vez.

                             IV


Saudades que tenho da minha mãe tão querida.
Dá minha infância com vida.
Que o tempo não volta mais.



(Edvaldo) 05/112016

7
AMIGO DESCOHECIDO.

Tony, você me parece.
Ser do lugar que nasci.
Portanto, você me conhece.
É uma pessoa conhecida no lugar que lá vivi.

(Edvaldo) 12/06/2016



8
A METAMORFOSE.

Metamorfoseando os meus órgãos.
Afirmar assim, quem diria?
Só pode ser transcendental. 
Vivendo assim eu queria. 
Afagando o meu ego, na grandeza de mãe Maria.

(Edvaldo) 20/07/2016


9
Os corruptos.

Não sei se vou ou se fico. 
Nesse Brasil de ladrão. 
Já roubaram o meu dinheiro. 
Levaram para o inferno ficando tudo pra o cão.

(Edvaldo) 22/07/016



10
Poesia no domingo

ACASO

Avistei você por um acaso e sua imagem fixei no pensamento.
A minha luta é constante e desigual, todo dia eu corro na labuta.  
Porém, eu não mudo de Conduta e essa história não é consensual.
Me maltrata, desgasta e me deprimi.
Me leva a uma tremenda exaustão.
Ao vê-la na rua tão sublime fujo da real, uma comoção!
És a mulher do sonho que  preciso,
Mas para viver bem no paraíso,
Ponho um ponto final nesta questão.

Gilbran Asfora



BRINCANDO DE RESPONDDER A GILBRAN.

11
O ACASO.

I   

Tem sempre o acaso e o caso.
Todos dois, bem turbulento.
A vida toda em relento.
O acaso é muito lento.

                   II

Na vida de um idoso.
Pra viver sempre chorando.
Vivendo sempre se arriscando.
Com a bengalinha apontando.
Trilhando no seu caminho.

                  III

Se arriscando e caindo.
Na vala e soltando um grito.
Chorando e murmurando.
O acaso não tem mito.

IV
 
Vivenciando a constante desventura.
No apogeu ofegante da mentira.
Tudo isto é um refletor de ilusão.
Na pujança refletida do amor.

                     V

Como posso viver assim neste silêncio.
Buscando a mulher amada no alento.
O acaso não é mais que um colosso.
Ao relembrar o passado turbulento.

(Edvaldo) 22/06/2016


12
O QUERER SER

         I

Quero ser mais não posso. 
Aquilo que o povo quer. 
Nada muda em minha vida. 
Dependendo do que é.

II 

Sou mesmo um cientista? 
Provar é tudo que quero.
Dependendo do provar.
Me pergunta que espero.

III 

Sou um homem ligado ao ETERNO.
Vivencio tudo isto quando quero. 
Sendo ELE o coordenador do universo. 
Apelar para ELE e o que quero. 

                            IV

Estudo a ciência metafísica.
Vivencio muito bem este mistério.
Nada impede de ser aquilo que revelo. 
Me tornar um cientista é um mistério.

                            V

Me ligar ao ETERNO, é um consenso.
Da ciência metafisica e do mistério.
Na teologia divina me revelo.
Ir buscar tudo no Deus eterno.

 (Edvaldo)  Em 02/06/2017. 

 13
O SER DO SENTIR. 

         I

No contexto que hoje se inicia, 
Na essência do teu corpo ao brotar.
Na penumbra do seu corpo que dormia. 
A sonhar com o amado que viria.

                            II 

Não mereço sofrer um novo dia. 
Na esperança do teu corpo abraçar.  
Esse sonho tão formoso, quem diria? 
Mesmo assim eu queria te acalmar.

                            III

Sussurrando no teu ouvido a delirar.
O amor a brotar o que sentia. 
Naquele dia sussurrando um linguajar. 
Favorecendo as mãos ao deslizar. 
No teu lindo corpo morno a jorrar… 

(EDVALDO) BUÍQUE, 31/05/2017


 14
MAMÃE, A SAUDADE QUE DÓI. 

                                      I

Mamãe querida, tu és. 
Na imensidão do tempo que passou, 
Sempre estive aos teus pés te afagando.
Te adorando, e vivenciando o teu amor.

                                      II

Dos beijos que me dava com lealdade.
Aquele amor, revelado com doçura. 
Te venero, sentindo muita saudade.
Ao afagar o meu rosto com ternura.

III 

Quanta doçura eu via no teu rosto.
E hoje eu vejo as rugas da velhice.
A tristeza nos teus olhos sem o gosto.
De um sorriso envelhecido da mesmice.

IV

Quantas saúde eu tenho daquele rosto. 
E hoje vejo inerte sem saída. 
Sem andar, e não me reconhece mais.
Não sou mais o primeiro amor da sua vida.

                                      V 

Noventa e cinco anos se passaram.
Quanta doçura, e hoje envelhecida. 
Já não se ver mais, alegria renascida.
Nem me dizer, Vadinho, és o primeiro amor da minha vida. 

(Edvaldo),
 Buíque, 14/05/2017


15
Poesia no domingo, Gilbran Asfora.

TRAGEDIA DA CHAPECOENSE.

Madrugada sombria, o vento frio.
Carne sangra e nas trevas rangem os ossos...
Quando os gritos se calam, nos destroços.
De um vermelho escaldante segue um rio.
Num calar sepulcral nem mais um pio.
Só pavor, sofrimento e corpo em riste...
Um alento sequer ali existe,
Orações, vela acesa ou despedidas.
A tragédia tirando tantas vidas.
E o mundo ficando bem mais triste.

Mote: Rangel Júnior, no acidente do Chapecoense
Glosa: Alfrânio de Brito

 16
A RESPOSTA. 12/12/2016

O dia poeta, sempre poeta.
Asfora ja foi um dia.
E o seu filho Gilbran sempre muito queria.
Poetar, confirmar o bom filho que seria.  
Declamando sempre, do seu pai, as mais lindas poesias.
Declamando, e suspirando.  
Ao relembrar o seu pai.
Que foi um poeta um dia.

(Edvaldo) 12/12/2016




17
NA BARBEARIA. 



Amigo Afonso, vamos palestra agora. 
Seguimos no bate papo até o romper da aurora.
Vc diz eu também digo. 
E acabou a história. 

               I

Hoje aqui tá conturbado. 
Todo mundo quer falar. 
Valdeci já disse tudo.
Só falta o mudo falar. 

               II

Quero ver quem fica aqui. 
Ouvindo tanta besteira.
Só falto sair correndo.
pra levar uma rasteira. 

                III

Todo mundo conta uma. 
Mentira de cair o rabo.
Afonso já contou dez. 
Revivendo o passado. 

                 IV

Aqui todo mundo fala, 
Contando história diversas.
É VALDECI trabalhando. 
E só  defendendo o que presta. 

                   V

O Edvaldo só fala naquilo que lhe interessa. 
Jamais contou uma mentira.
E só defende o que presta.
Pois, só atira depois que mira mira, na testa. 

                  VI

Aqui todo mundo fala. 
Na política da propina. 
O Lula já virou tema. 
Pra desgraça do Brasil. 
O imposto aqui lema. 

                  VIII

Só falta cair o Temer. 
Pra desgraça do Brasil. 
Tudo aqui é varonil.
Todo mundo Já caiu.

               IX

Todos aqui sabem de tudo.
Do evangelho a política.
Do universo a perícia. 
E da mentira do mundo. 

                     X

O Efraim é muito sábio.
De tudo conhece um pouco.
Merece ser contemplado. 
Na medida do sufoco. 

                  XI

Portanto o tempo passou. 
Na vivência do querer.
Sofrendo só de ouvir. 
Mentira pra ter que crer.

                  XII

Um mente só pra querer. 
Zombar da outra pessoa. 
Só vai parar no inferno. 
E Lá dizer uma loa.

                   XIII

Tudo isto é a verdade. 
De quem quer ser como é. 
Viver como Maomé. 
É tudo o agente quer. 

(Edvaldo) 10/06/2017


18
A Quadrilha.


A quadrilha se transforma.
Na grande festa do povo.
No vai e vem do balanço.
Pra se renovar de novo.


                    I


O São João é todo assim.
A dama é linda e formosa.
No bem bom todos à cantar.
Dançando e soltando prosa.
                   

II


Todo mundo a brincar.  
Na noite de São João.
Tem fogueira e foguetão.
Rosquinha e mosquetão.


                   III


Assim todos comemoram.
Na vila e no sertão.
A praça cheia do povo.
Para beber o quentão.


                 IV


Aí começa o forró.
O sanfoneiro se prostra.
Pra cantar aquela moda.
Do jeito que povo gosta.


                  V


O Balancê da quadrilha.
A dama sendo abraçada.
É um fungar tão grande.
Que a venta fica amaçada.


                  VI


Todos à dançar no salão.
Rodopiando a cantar.
Um remelexo tão grande.
Todos no mesmo lugar.


(Edvaldo) 15/06/2017


19
SAUDAÇÃO A BUIQUE.

                  I

Não sou filho de Buíque.
Porém lhe amo demais.
Que coisa boa é viver.
A onde tudo lhe apraz.

                   II

Tornei-me um Buiquense.
Por opção e amor.
Em uma singela franqueza.
Daqueles que me adotou.

                  III

É assim que ainda vivo.
Fugindo sempre da dor.
Brincando com meus amigos.
Contribuindo assim, no despertar do louvou.

                  IV

Minha vida eu levo assim.
Na terra que tanto quero.
Buíque, teu filho amado.
Ser amado assim espero.

(EDVALDO) 10/05/2017

20
O MINISTÉRIO QUE TRANSCENDE.


Agradeço, ao ETERNO por mais um dia.                                      
Na esperança de outro dia ti encontrar.
Quantas coisas belas já me deste.
Te agradeço, e vou lutar pra esperar.


II


A força, e o poder, me desse com prazer.
Foi muito bom, e com isso eu aproveito.
Regozijo o atributo ao fazer.
Me livrando, do mau com muito jeito.


III


Aliviando o sofrimento, e é bem feito.
Vou viver muito, e aplicá-lo com amor.
E tudo isso, nunca, nunca, eu rejeito.
E ainda rindo, disfrutando com humor.


IV


O ETERNO, tá fornecendo a vida, agora.
De tudo isto, que eu falo com louvor.
Na aventura, no universo, que vigora.
Uma viagem, pela galáxia, a busca do amor.


V


As estrelas, no universo a brilhar.
Na sutileza de um amor a ressurgir.
Quisera eu, esse teu beijo roubar.
E no apogeu, do seu colo me deitar.


VI


No universo, quem coordena é o ETERNO.
O sol que brilhar, na imensa solidão.
Vou viajando, para o mundo do pai Paterno.
Vou encontrá-lo, transcendendo a escuridão.


VII


Que coisa boa, tudo isto que te falo.
Mesmo assim, o mistério é profundo.
Revelar agora, não compensa ao moribundo.
Viaje agora, em busca de outro mundo.


10/07/2017(Edvaldo)