.

.

PAGINAS ESSENCIAIS DE ASSUNTOS INÉDITOS.

ESTAS MATÉRIAS ESTÃO COMPARTILHADAS COM ESTAS PAGINAS: http://www.recantodasletras.com.br/autores/edvaldobmelo http://teologia-divina.vilabol.uol.com.br// http://twitter.com/#%21/relator_edvaldo SOBRE POLÍTICA E OUTROS ASSUNTOS ACESSE www.buique-buicano.blogspot.com.br/
facebook.com/edvaldo.b.demelo

LIVRO: ...venha a nós o teu reino...

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

PRIMEIRA PARTE DO LIVRO DE CÍCERO, ISRAEL, MEU REI, E SADABI, (MEU REI)....

I PARTE

CAPITULO I

O NASCIMENTO DE CÍCERO JOSÉ DE FARIAS

            Nesta história que transcrevo da vida de Cícero José de Farias, colocarei em 3 etapas: 1ª, o nascimento, e a visão transcendental de Cícero, ao deslumbrar o corpo de Jesus transluminoso, em uma transfiguração do corpo metafísico astral. A 2ª, a missão como Israel. A 3ª, a sua vida curta do espírito que alimentou o corpo matéria como SADABI, sendo este, filho de DEUS no corpo metafísico.
A minha intenção não é de fazer convite, nem tão pouco de convencer a quem quer que seja. No relato que faço nesta 1ª etapa, apenas divulgo os fundamentos pelos quais dei credibilidade e passo a fornecer a realidade da minha crença como de todos que pertenceram e pertencem a este caminho evolutivo; pois, diante desta credibilidade chegamos a montar a pedra fundamental do REINO DE DEUS na Fazenda Porto Seguro no planeta terra. 
A família de Cícero Jose de Farias foi pouco comentada por ELE e seus irmãos. Dizia para todos que havia nascido em uma fazenda no distrito de Altinho município de Garanhuns no estado de Pernambuco. Sua mãe descendente de Português e seu pai descendente de Holandês tiveram muitos filhos. Seus pais, muito católicos e devotos de Padre Cícero, resolveram colocar seu nome de Cícero José de Farias. Cícero, ao nascer trouxe dois sinais de ferimentos cicatrizados em seu corpo, um na coxa e, o outro em cima do coração. Este veio aberto coberto apenas com uma película que dava para ver o movimento do coração, esta informação foi fornecida por sua irmã, Lidia Farias. Quando O conheci, só existiam as marcas como de um corte. Na idade adulta, Cícero resolveu sair do local onde nasceu e junto com mais dois irmãos chegaram a Cidade de Arcoverde e, se estabeleceram com um comércio de secos e molhados, onde permaneceu até ter a visão do corpo transcendente de Jesus.
Após realizar uma reflexão bíblica da promessa do CONSOLADOR feita por Jesus, conclui em um trabalho e análise nos estudos da Ciência Metafísica e na Teologia DIVINA, como também por inspiração, resultando nesta verdade que divulgo. Veja bem, o que Jesus promete, não é a um espírito qualquer, falando em línguas estrangeiras, como interpretam os religiosos, no dia do Pentecostes, mas, um Espírito Santo de DEUS, encarnado como foi Jesus. Este Ser que poderia ser o CONSOLADOR se comunicaria na sua língua natural humana, igual a Jesus e seu irmão, Sadabi; na espiritualidade fazendo parte da família REAL, constituindo-se um ser humano terráqueo, tendo o privilégio de ouvir os desígnios do seu Pai e do seu irmão Jesus, transmitindo para nós, todas as coisas que haveriam de vir. Foi isto que aconteceu durante a trajetória de Cícero, tanto da sua preparação feita por Jesus, como na sua missão determinada por DEUS. Sempre transmitindo para todos nós, aquilo que os discípulos de Jesus não suportaram: “Tenho ainda muito que vos dizer, mas vós não podeis suportar agora” (JOÃO. Bíblia Cap.16: v. 12). Este CONSOLADOR falou de forma oral e escrita as determinações da vontade do DEUS ETERNO. Para confundir mais ainda, Jesus não deixou nenhum dos livros escritos. O primeiro livro foi escrito por Mateus, mais ou menos uns 60 anos depois da presença do filho de DEUS na Terra.  Na época do filho de DEUS, no relato Bíblico denominado de o Novo Testamento, estes livros foram escritos na língua Hebraica, no Grego e no Aramaico. Havendo também uma variedade de dialetos, e ainda, a comunicação de Jesus, usando a linguagem da Teologia Divina.
Toda história de Jesus foi escrita por Mateus, Marcos, Lucas e João. Nesta narração bíblica, os tradutores transcreveram os fundamentos deixados por Jesus de diferentes pontos de vista. Nesta transcrição, traduziram ao pé da letra o que ouviram de outras pessoas, ou de espíritos mistificadores. Como também, quando do trabalho de juntar toda palavra de DEUS e de JESUS em um só livro, (a bíblia), articulando capítulos e versículos. Neste complemento que constitui o Velho e o Novo Testamento tiveram início várias interpretações originando diversos seguimentos religiosos.  Portanto, para se chegar a verdade é preciso fazer a ligação com o espírito que vivifica; este coloca o homem no ponto preciso do caminho em busca da sua evolução. 
Este explicativo que divulgo agora se faz necessário, pois, contribui para uma reflexão sobre a ligação entre Jesus e o espírito de Cícero. Na promessa do CONSOLADOR feita por Jesus, analisando a Bíblia, os sábios terráqueos só aproveitaram 90% da verdade emanada por DEUS. Para entender melhor, disse Jesus: Mas eu vos digo a verdade: Convém-vos que eu vá, porque se eu não for, o consolador não virá para vós outros; se, porem, eu for, eu vo-lo enviarei”. (JOÃO. Bíblia, cap. 16: v. 7)
Mais adiante, - Jesus diz: “Quando vier, porém, o espírito da verdade, ele vos guiará a toda verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo que tiver ouvido, e vos anunciará as coisas que hão de vir. (João. Cap. 13). Ele me glorificará porque há de receber do que é meu, e vo-lo há de anunciar”. (JOÃO. Bíblia, cap.16: v. 14).
            Analisando os versículos desta história Bíblica de uma época tão afastada de nós, explico que nesta narração de João supra citada no capitulo 16, na profecia de Jesus para a vinda do CONSOLADOR; Jesus se referiu a outro consolador; portanto, ELE não se referiu a um espírito, e sim, a um homem como foi Jesus. Portanto, foi esta promessa para um futuro distante que teve inicio na nossa época em 1932 na pessoa de Cícero.
A VISÃO.
Este relato que propago agora no qual ouvi por muitas vezes de Meu Rei acredito ser um fenômeno DIVINO, pois, deu inicio a todo este mistério da conversa de DEUS com Cícero. Portanto, este assunto que trato agora, constitui a primeira etapa da vida de Cícero José de Farias. Depois da montagem do negócio na cidade de Arcoverde, o comércio havia progredido e, no ano de 1932, Cícero havia comprado uma remessa de mercadoria, e esta, ao chegar, não tendo aonde colocar no armazém, colocou-a no quintal, este, cercado por um muro de alvenaria. A noite, já era 23h, preocupado, foi vistoriar a mercadoria e, ao voltar para o interior do armazém, já na porta, recuou um pouco, pois, tinha por costume, a noite, sempre olhar o firmamento para apreciar as estrelas. Ao contemplar a beleza do luzeiro no céu a cintilar, notou que três estrelas tinham brilhos diferenciados umas das outras, se destacando do restante que brilhava no firmamento. De repente notou que uma delas se deslocava como que fosse cair, aumentando aos poucos o seu tamanho, quando chegou do tamanho da lua cheia transformou-se em um rosto humano, baixando ainda mais, transformando-se em um corpo humano. Cícero acompanhava toda esta visão, estarrecido. Quando este Ser transluminoso baixou em cima do monte, (do lado esquerdo de quem sai da Cidade de Arcoverde, rumo ao nascente, este morro foi denominado no ato da visão, de MONTE SIÃO). Este Ser ficou acima das árvores a uma altura similar ao tamanho de uma árvore. Ao deslumbrar a figura daquele corpo celeste iluminado, visualizava uma ornamentação divinal, na sua cabeça uma coroa de luz azulada que transbordava como um leque de faixa suntuosa emergindo-se para o infinito do universo. O brilho foi tão intenso que desapareceu a luz elétrica da cidade. Nesta visão deslumbrante, Cícero distingue a figura de um Ser transluminoso vestindo uma batina com mangas compridas e largas que dava para ver uma camisa de camurça cor de palha por baixo da mesma; sobre os ombros um manto branco com uma grande jóia reluzente que prendia este manto ao pescoço e o vento tremulava suas vestes, dando haver que era uma visão viva. Na cintura por cima da batina, um torçal de ouro resplandecente que circulava a cintura amarrando com um nó e, as duas pontas desciam até o joelho. Em sistema de telepatia, falou dentro da consciência de Cícero; e disse: - sou Jesus o filho de DEUS, (Jesus usou o processo de transfiguração para se apresentar a Cícero), - vim ti falar sobre uma missão que receberás do MEU PAI. - Que missão é esta? - Perguntou Cícero. - Não tenho permissão de ti revelar; respondeu Jesus. - Cícero diz: - não sou digno de receber esta incumbência, deveria dar ao Papa, ou, a um Pastor. - Jesus lhe respondeu: - Teu espírito foi escolhido e preparado, desde há muito tempo para esta determinada missão do meu PAI.
Na resposta, Jesus também afirma: vou lhe dar uma missão de cura por vinte anos. Se TU cumprires a minha, a do  MEU PAI será confirmada. – Como irei cumprir a TUA missão de cura se sou um homem doente e desenganado pela medicina? Então, Jesus lhe respondeu: - Certamente serás curado também. E como procederei para fazer estas curas? Jesus lhe respondeu: - usarás um copo com água, no qual farás imposição das mãos e a mesma será fluidificada pela minha energia. Se tiveres consideração a mim multiplicas esta consideração ao meu PAI, pois, quando estive na Terra tudo que fiz foi em honra e glória ao meu PAI. Com este segmento ao decorrer do tempo, a preparação de Cícero nos vinte anos seguintes foi concretizada, inclusive, com inúmeras curas até o recebimento da missão prometida por DEUS. Com o cumprimento da missão de Jesus, aí sim, Cícero estaria pronto para receber a missão do PAI.
Portanto, tudo isto tem haver com a ligação de DEUS do passado ao presente com Cícero. Consequentemente, das determinações Bíblicas das profecias de DEUS; comprovando uma ligação energética para que no caminhar do povo de DEUS, e ao longo deste caminho, este povo que deu credibilidade a Israel se firmassem em uma fé inabalável e inalterável, neste tempo atual.
Analisando as comunicações de DEUS através do profeta Isaias, lembrei-me da narração bíblica, deste profeta, no qual Deus diz: -“ Mas tu, ó Israel, servo meu, tu Jacó, aquém elegi, descendente de Abrão, meu amigo, V. 9 - tu a quem tomei das extremidades da terra e chamei dos seus cantos mais remotos, e a quem disse: - Tu és o meu servo, eu te escolhi e não te rejeitei, V. 10 - não temas, porque eu sou contigo: - não te assombres, porque eu sou o teu Deus; eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a minha destra fiel”. (ISAIAS. Bíblia. Cap.4. V. 8) .
Analisando estas palavras e também com um pouco de inspiração neste diálogo, da narração de DEUS com Isaias, referindo-se a Jacó/Israel, está confirmado, dentro da minha credibilidade, que é o mesmo espírito de Cícero/Israel na promessa de DEUS para que Jacó/Israel seja suscitado em um redentor no futuro. Portanto, na minha análise, é o mesmo espírito de DEUS, tanto nesta narração Bíblica, como na ligação desta história de Cícero/Israel que narro hoje, tanto na visão como no diálogo de Jesus com Cícero, e também na preparação de Cícero, por 20 anos. Observem neste meu explicativo analítico, que a preparação citada por Jesus se refere à evolução consciencial do corpo físico de Cícero; para um futuro que transcendesse nos mistérios de DEUS, pois, o espírito já esteve se preparando em trabalhos com DEUS, em outros mundos (planetas), e em outros tempos neste planeta terra, desde Adão até este tempo que atravessamos, na vivência do cumprimento sempre da palavra de DEUS. Portanto, o envio do seu espírito por DEUS para uma missão de povoar o planeta Terra na pessoa de Adão, nesta semente que foi preparada, germinou e deu início o seguimento do povo de DEUS. Este mesmo espírito vivente com reencarnações sucessivas iniciando na alimentação do corpo de Adão, depois, Noé, Jacó, (Israel), da história bíblica; e em nosso tempo este  mesmo espírito alimentou a pessoa de Cícero, (Israel), em um trabalho para vivificar o espírito e o corpo matéria, iniciando a missão determinada por DEUS, como o redentor. Também junto com ELE, ao longo deste caminho, vieram os espíritos viventes em encarnações sucessivas fazendo parte desta mesma linhagem da semente germinativa de um povo para fazer parte da criação do reino de DEUS.
            Continuando o diálogo de Jesus com Cícero. - Jesus acrescenta: - para que tu possas cumprir esta missão, tenho que te preparar por vinte anos, aí sim, o meu Pai, te revelará tudo o que há de ser, nesta missão. - Cícero muito católico, pergunta-lhe, que devo fazer? Continuo no catolicismo? - Não; respondeu Jesus; deves procurar o espiritismo. Estarei sempre contigo. Este acontecido deixou-o em situação delicada, pois, temendo o não crédito das pessoas, calou-se; mas, devido a sua mudança de comportamento vieram às insistências para saber o motivo desta situação. Depois de algum tempo, contou em detalhe para todos os seus conhecidos. Também procurou o padre da cidade e, contou tudo que se passou naquela noite. O padre não acreditou, como ninguém acreditou, até sua mãe, muito católica, achou que era uma invenção de sua cabeça, aconselhando-lhe a desmentir o que havia dito.
Portanto, como Jesus lhe havia prometido que lhe prepararia durante 20 anos para receber a missão e, não havendo mais clima para permanecer na cidade, sempre orientado por Jesus, saiu sem destino, começando sua peregrinação pelos os Estados de Pernambuco, Paraíba, Alagoas, Rio Grande do Norte e Ceará. Sempre sendo desacreditado por onde passou, não teve sossego de parar em um canto para se estabelecer como um ser humano normal. Foi muito perseguido aonde chegava, pois, não poderia deixar de falar sobre o que lhe aconteceu na cidade de Arcoverde. Houve perseguição das religiões nos lugares onde ELE passou, até mesmo dentro do espiritismo houve perseguição e descrença.
Conto um caso que aconteceu com Cícero: chegando a uma cidade do interior da Paraíba, visitou um centro espírita aonde o presidente era um sargento reformado da polícia militar. No começo foi bem recebido, mas, em um trabalho mediúnico, sentados ao redor da mesa havia seis médiuns, incluso estava Cícero; foi aberta a sessão, o primeiro médium recebeu um espírito que fez sua preleção com uma oratória específica; o segundo médium recebeu o mesmo espírito que deu outro nome, com uma preleção diferenciada do primeiro; e, assim, este espírito atuou no restante dos médiuns, fazendo preleções com assuntos diferenciados e dando o nome diferente; quando chegou à vez de Cícero, este espírito foi obrigado pela força de JESUS, a si acusar da farsa que havia pregado a todos os médiuns. Cícero pediu ao espírito que se retirasse da sessão, que foi prontamente atendido. Cícero fez uma preleção dizendo que eles tinham sido enganados pelo astuto espírito. Mas, não teve êxito com sua explicação. Todos os médiuns se revoltaram com Cícero, que não pôde mais freqüentar o centro espírita. Outro caso, ELE contava e ria muito com o que aconteceu também em um centro espírita de outra cidade. Como o seu nome já estava sendo conhecido em toda região pelas curas que ELE estava fazendo, chamaram-lhe para resolver um problema de loucura de uma pessoa. Chegando ao centro espírita, os médiuns estavam todos reunidos ao redor de uma mesa e, um jovem rapaz em estado de loucura, fazia todo tipo de travessura em cima desta mesa. Os médiuns como sempre acontece nestes casos, doutrinavam o espírito, mas, sem resultado satisfatório nenhum. Cícero, examinando aquele fenômeno místico, no caso do jovem, disse: vocês estão doutrinando um espírito de uma onça, portanto ela não entende nada do que vocês falam. Neste caso, aumentam as alucinações do obsedado, causando uma das piores loucuras do ser humano. Cícero assumiu o trabalho, colocando a mão na cabeça do rapaz, com a força e poder de Jesus, fez o deslocamento do espírito da onça, jogando em direção a porta de saída. Esta estava fechada e, muita gente lá fora, e uma das pessoas olhava pelo buraco da fechadura, quando o espírito saiu do corpo do jovem, o deslocamento do espírito saiu com tanta força que quem estava olhando pelo buraco da fechadura levou uma pancada que caiu desmaiado. Os gritos das pessoas presentes na frente do centro espírita pediam socorro; os médiuns correram apavorados e, ao abrir à porta, encontraram uma pessoa caída. Então chamando Cícero, disseram, veja o que você fez! - ELE respondeu do mesmo jeito que tirei do outro rapaz, tiro deste também e, assim o fez. Sobre este fenômeno do acontecido acima citado dou esta explicação convicta na minha credibilidade. Em meus trabalhos nos estudos da Ciência Metafísica e na Teologia DIVINA, a minha sensibilidade é estimulada a receber por inspiração estas explicações a seguir. Estes fenômenos de psicopatia são loucuras geralmente acometidas por problema de mediunidade não trabalhada por ignorância. Na falta de credibilidade nos fenômenos espirituais, a consequencia é o atrofiamento da sensibilidade credencial para o desenvolvimento mediúnico na busca da evolução a caminho do reino de DEUS. Estas pessoas negaram a si mesmo o direito de comunicação com os espíritos condicionadores deste alicerce evolutivo para a preparação dos seres humanos. Como também são débitos acumulados de vidas anteriores nestes mesmos erros do não credenciamento na parapsicologia. Portanto, com esta credibilidade chegariam à verdadeira sensibilidade para receber a comunicação telepática dos espíritos formadores de opiniões para a nossa evolução. Vejam bem, cada caso é um caso diferenciado, e toda regra têm exceção. Por outro lado no caso específico do fenômeno místico espiritual na história contada por Cícero, a conseqüência foi trágica. Portanto, não há possibilidade de uma reencarnação de um espírito animal em corpo humano ou vice versa. Esta narrativa complexa é para lucidez da sensibilidade evolutiva dos mistérios que envolvem os seres humanos.  Portanto, posso dizer que toda animação corpórea na anatomia dos seres animais é composta de um núcleo de átomo; (átomo de uma energia desconhecida da ciência humana) e que, cada um viverá segundo a sua espécie, isto é, depois da formação do núcleo dos átomos prontos, pode haver encarnações pela primeira vez em sua espécie animal para animação do corpo físico. Seja ela na espécie animal irracional ou humano racional. No entanto, todos seguirão em sucessivas reencarnações na mesma espécie. Nestes núcleos de átomo específico tem uma formação animadora energética totalmente desconhecida da ciência terrena, mas, que todos nós conhecemos, como, O ESPÍRITO. Poderia contar casos de curas que foram muitos, vividos por Cícero/Israel, mas, escolhi estes dois, só para esclarecer a complexidade mediúnica dos seres humanos. Não pode haver reencarnação do espírito humano no corpo animal, ou vice versa, mas, pode haver o encosto de um espírito animal no corpo  animado de um ser humano provocando o distúrbio de conseqüência irreparável.
Voltando a narrativa da história de Cícero, Jesus cumpriu com sua promessa e esteve sempre presente na vida dele, e nas suas comunicações telepáticas ensinava-o para sua formação cultural espiritualista, como também ajudando aqueles que precisavam ser curados dos seus males. No percurso da primeira etapa na vida de Cícero, desde a visão comunicativa transcendental até receber a missão foi exercido com êxito durante o prazo de 20 anos; Cícero ficou apito para exercer no espírito, as funções determinativas de DEUS; e o corpo-matéria ficou pronto para exercer no futuro um dos maiores mistério da DIVINDADE.
Diante da minha credibilidade no DEUS único e verdadeiro, faço esta reflexão sobre os 20 anos da preparação de um ser humano para exercer uma missão dada por DEUS. Vejam a incoerência da verdade, nas pregações dos religiosos sobre a doutrina de convencimento desta salvação ilusória que sempre foi exercida com a força do magnetismo, não observam que a salvação não está no convencimento, e sim, no espírito de Jesus que vivifica e nos conduz para a nossa evolução até a presença de DEUS. A seguir, analisem as palavras de Jesus nesta citação bíblica: - Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai se não por mim”. (JOÃO. Bíblia, cap. 14: v. 6.
Vejam que não há outro se não o próprio Jesus em sistema telepático com força do seu poder para preparar os que vierem em nome de DEUS, como também todos aqueles que verdadeiramente derem credibilidade na sua convocação, e se unificarem com ELE para uma evolução do seu corpo físico e metafísico. E ainda, dentro do meu trabalho nos estudos da ciência Metafísica e na Teologia DIVINA, explico: durante os 20 anos que Jesus preparou Cícero e, O levou a presença de DEUS para receber a salvação e a missão; a frase de João no capitulo 14, versículo 6, dita por Jesus na sua primeira vinda, confirma que CÍCERO foi levado a presença de DEUS. E agora?! Como é que uma pessoa pelo simples fato de aceitar Jesus como seu salvador, está salvo? Este encaminhamento para esta salvação depende de um trabalho de filtragem dos erros de cada um, para colocar em si a verdadeira sabedoria de Jesus. Vejam que depende de um trabalho de uma evolução constante para se chegar à salvação e se apresentar diante do nosso DEUS, com muita vivacidade e sabedoria. Aqui não tem criticas nos ajuntamentos sociais dos religiosos para vivenciar o conhecimento na palavra de DEUS escrita na conceituada Bíblia; mas, a palavra salvação está muito explicada ilusoriamente, e, no entanto, deveria ser trabalhada em cada um, isto é, com mais determinação na verdade do saber, pois a salvação é constituída de uma evolução constante no mistério que a conduz dentro das reencarnações sucessivas. A salvação real deve ser focada na pessoa de Jesus vivo como ELE está no céu direita do Pai.
Portanto, nesta vivencia espiritual de Jesus encaminhando Cícero até a presença de DEUS, vê-se que Cícero no caminhar de sua evolução dentre os mistérios de DEUS, encaminhará todos aqueles que derem credibilidade a ELE, a uma ligação com o próprio Jesus, que encaminhará todos até DEUS.